Ok, sei, que eu estou super atrasada! Eu sei!

Mas, vocês tem que me entender! É muito assunto pra por em dia com vocês, então vamos a série “Loucuras do mês de Março”, que eu ainda quero por em dia. E, me dê um desconto, ainda é dia 16/03/2017. São só 16 dias de retrospectiva, baby!

Então vamos começar os comentários falando de prêmios, e não é dos R$ 1.5 milhão do #BBB17, que eu estou falando! É do Oscar!

Esse ano, diferente do ano passado, que a Academia foi criticada, pela falta de representatividade negra nas produções, e por consequência, nas indicações. Num recorde na história da Academia, seis atores e atrizes negros foram indicados ao Oscar em 2017.

Com, dois saindo vencedores em suas respectivas categorias. Três dos indicados a melhor filme tinham elenco majoritariamente negro.

Um deles levou a estatueta. Moonlight conta a história de um menino negro e gay e esse filme receber esse reconhecimento é uma muito importante.

Até aí, tudo muito belo, não fosse o fato, de novamente a Academia entrar numa polêmica:

Casey Affleck levou o prêmio de melhor ator.

Em 2010, o ator recebeu duas acusações de assédio sexual durante as gravações de I am Still Here. O que é um fato gravíssimo.

No momento em que  Casey fazia seu discurso de agradecimento, Brie Larson (atriz), não bateu palmas.

Brie é atuante no combate à violência contra a mulher e já tinha se recusado a aplaudir o ator quando ele recebeu o prêmio por Manchester by the Sea no Globo de Ouro.

A premiação de Affleck até agora tem trouxe muita discussão para mesa. Uma galera acha absurdo a Academia festejar um cara com um passado de abuso.

Porém, muita gente defende a premiação com a justificativa de que sua atuação no filme não tem nada a ver com crimes que ele possa ter cometido.

Só, acho que devemos finalizar essa discussão aqui, com esse post do #ThinkOlga, pra darmos uma pensada!